domingo, novembro 06, 2005

O valor da Bíblia na vida do cristão


O Papa Bento XVI lembrou o 40º aniversário da proclamação da Constituição Dogmática “Dei Verbum”, do Concílio Vaticano II, sublinhando a importância da Bíblia na vida da Igreja.
“A Igreja não vive de si mesma, mas do Evangelho e dele tira sempre orientação para o seu caminho”, disse.
O Papa classificou este documento sobre a Divina Revelação e a sua transmissão, a inspiração e interpretação da Bíblia, como “uma das colunas principais de todo o edifício conciliar”, do qual resultou uma profunda “renovação da comunidade eclesial”.
“A Sagrada Escritura do antigo e do novo Testamento e a sagrada Tradição contêm uma mensagem cuja compreensão aumenta na Igreja sob a assistência do Espírito Santo”, referiu.
E recomendou aos fiéis que leiam diariamente a Sagrada Escritura.

3 comentários:

Anónimo disse...

Que é isso de tradição?
Tem alguma coisa a ver com a Palavra de Deus?

joaquim disse...

Mais uma vez o Papa actual veio lembrar aquilo que chama a «Sagrada Tradição». É a leitura que os primitivos Padres da Igreja (estudiosos como Justino, Jerónimo, Agostinho, etc.)fizeram do ensinamento da Sagrada Escritura e da pregação dos Apóstolos e seus seguidores.
A Igreja Católica e Ortodoxa dão grande valor a esta Tradição. As correntes protestantes desprezam-na, como se o que se escreveu depois da bíblia não tivesse qualquer valor.

Anónimo disse...

Deus não nos abandonou a partir de Jesus Cristo. Ele continua connosco e prometeu a assistência do Espírito Santo.
A Igreja sabe que nada pode ir contra o que foi revelado por Jesus Cristo. Mas muitos ao longo destes dois mil anos têm-nos ajudado a reflectir e entender melhor a Revelação. Sobretudo os Concílios e os Papas.
Foi a Pedro - o primeiro Papa - que Jesus entregou o poder de dirigir a Igreja: «Dar-te-ei as chaves do Reino dos Céus. O que ligares ou desligares na Terra será ligado ou desligado nos Céus.