quinta-feira, outubro 20, 2005

Santa Sé na ONU

É preciso resgatar a mulher de abusos

«Todas as formas de violência contra a mulher devem ser condenadas», indicou o arcebispo Celestino Migliore – observador permanente da Santa Sé ante as Nações Unidas – no decurso da III Comissão da 60ª sessão da Assembleia Geral do organismo mundial sobre o ponto 65: «Implementação do resultado da IV Conferência Mundial sobre a Mulher e da sessão especial da Assembleia Geral titulada "Mulheres 2000: igualdade de gênero, desenvolvimento e paz no século XXI"».
Conseguir que a mulher tenha acesso às fontes de produção e ao capital, sua alfabetização e sua atenção à saúde estão entre as respostas que haveria que buscar desde a ONU à evidência mundial de que «a vulnerabilidade continua sendo uma constante» na vida feminina, considera a Santa Sé. «A violência – em todas suas formas – contra as mulheres, incluindo a violência doméstica e daninhas práticas tradicionais, constitui uma grave violação da dignidade da mulher e de seus direitos humanos. Em alguns países o feticídio e infanticídio feminino continuam», recordou. E falou na prostituição, no tráfico, na pobreza que é sobretudo feminina e na falta de cuidados médicos e higiénicos.

8 comentários:

dolorosa disse...

Que sou eu menos que o homem para ser desprezada e ofendida?
E não sou das que mais me posso queixar!...
Conheço casos bem piores?
Será que os homens valem mais que as mulheres?
Dolorosa

Clone de VER PARA CRER disse...

Numa coisa pelo menos elas nos ganham: são as nossas esposas e mães!

Anónimo disse...

As mulheres, em geral, são muito mais maldosas e violentas que os homens, além de falsas, traiçoeiras e vingativas, pagando assim genericamente uma minoria de mulheres mais ou menos boas (cerca de 1/3 apenas) por uma maioria de mulheres megeras (cerca de 2/3).
Vejam o que acontece, por exemplo, em relação ao diabólico feminismo (em que quase tudo lhes é permitido, o que revolta o homem mais justo, paciente e santo), e sobretudo em relação ao maldito aborto, em que são quase sempre elas (e raramente os pais dos nascituros chacinados), que tomam sempre a iniciativa ou impõem, sob chantagem, tais crimes hediondos, muitas vezes contra a vontade dos pais de tais crianças por nascer, assim condenadas inocentemente à pior das mortes, sem qualquer defesa ou com a cumplicidade/tolerância quer da sociedade e do governo, quer cobarde e hipocritamente da própria religião, salvo raras e honrosas excepções.
E ainda se queixam, apesar de elas já terem praticamente todos os mesmíssimos direitos que os homens (ao menos na cultura ocidental), pois não se contentam com serem iguais, por quererem ser superiores.
Tenhma juízo e vergonha na cara, que os homens estão sendo muito mais vítimas inocentes, muito mais explorados em certos aspectos, sobretudo nos divórcios e em todos os seus diabólicos efeitos, como por exemplo ficarem sem os filhos e sem os próprios bens essenciais, em benefício exclusivo ou principal das mulheres e filhos, a começar pela casa de habitação da família.
É a lei da selva feminista e matriarcal, é o cabo da civilização ocidental e cristã.
E os homens que alinham a favor de tais injustiças, arbitrariedades e barbaridades feministas, ainda são mais culpados que elas, ou não são homens nem são nada.

Ver para crer disse...

Defeitos todos temos, mas diabolizar assim as mulheres não é de homem, muito menos de cristão.
A tua mãe não era mulher?! E tuas hipotéticas filhas ou irmãs não são mulheres?...
E os homens não são vingativos nem culpados de grandes males?!!!

Anónimo disse...

Ver a local do DN e tirar conclusões: http://dn.sapo.pt/2005/10/21/desporto/futebolistas_alvo_facil_inglaterra.html

Anónimo disse...

Saiu mal o link: Ver esta notícia do DN e tirar conclusões

http://dn.sapo.pt/2005/10/21/desporto/futebolistas_alvo_facil_inglaterra.html

Anónimo disse...

Mulheres nem vê-las!!!

Anónimo disse...

E homens mulherengos ou maricas, muitos menos ainda!
Desgraçadamente, e daí tanto feminismo aberrante e asqueroso, estamos cada vez pior!
Por isso mesmo, haja cada vez mais "machos latinos" (no bom sentido), que metam na devida ordem não só as mulheres autoritárias mas também os homens bananas!