quinta-feira, fevereiro 28, 2008

A República precisa de crentes


Disseram os jornais, que a senadora mais votada na história do Senado Espanhol, em representação dos socialistas catalães por Barcelona, abandonou aquele cargo, por incompatibilidade com a actual política de seu partido,o PSOE, difundindo uma nota através da agência Europa Press.

Nessa nota Mercedes anuncia a sua conversão ao cristianismo e dá conta de que a sua postura choca com as leis do Governo, "Meu actual compromisso cristão me levou a opor às leis do Governo que chocam frontalmente com a ética cristã, como a regulação dada à união homossexual ou a pesquisa com embriões, e que em consciência não pude apoiar. Em consequência, impunha-se a decisão que tomei", afirma em seu comunicado.


Já em Junho de 2005, Mercedes Aroz anunciou sua oposição à lei socialista do matrimónio homossexual, como publicou em seu momento "Fórum Libertas", quando aquela lei se debateu no Senado e foi rejeitada por este órgão político, mas essa decisão não foi respeitada pelo Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE).
Mercedes Aroz disse, em declarações à Europa Press: "Eu quis tornar pública a minha conversão para sublinhar a convicção da Igreja Católica de que o cristianismo tem muito a dizer aos homens e mulheres de nosso tempo, porque há algo mais que a razão e a ciência. Através da fé cristã, chega-se a compreender plenamente a própria identidade como ser humano e o sentido da vida".


Por seu lado o novo Presidente francês fez uma afirmação que levantou os cabelos aos laicistas de França e não só: “A República precisa dos crentes”. E o mesmo Sarkozy foi ainda mais longe, assumindo as raízes cristãs da França, "cimento da identidade nacional", e defendendo uma laicidade positiva que não encare as religiões "como um perigo, mas sim como um trunfo", numa França hoje religiosamente diversa.

Nunca um Presidente tinha ido tão longe, desde a lei da Separação de 1905. Tais afirmações levantaram muitas vozes contra mas são bem a evidência de que os tempos mudaram e são hoje mais favoráveis a uma liberdade para todos.

3 comentários:

osátiro disse...

De vez em quando boas notícias deEspanha.
Infelizmente,muito raras...

Joaquim Costa disse...

Ainda bem que estás atento a estas notícias. Sempre vão contrabalançando com as más que os mídia nos vão impingindo.

joaquim disse...

Afinal, graças a Deus, ainda há verdadeiros cristãos que não temem afirmar a sua fé mesmo quando isso é "politicamente incorrecto"!
À medida do nosso tempo são os "mártires" desta época!
E agora não venham dizer que certos politicos deste país, que durante as campanhas se deixam filmar à saida da Missa e se afirmam cristãos e católicos, não devem afirmar a sua fé nas matérias que vão contra as suas convicções religiosas, devendo mesmo chegar a abandonar os cargos se tal for necessário.
Mereceriam, tenho a certeza, o respeito de todos e sobretudo o seu próprio respeito.

Abraço amigo em Cristo