quinta-feira, setembro 27, 2007

Boa lição para as crianças


Um grupo de quatro crianças, com idades entre os 11 e 13 anos, tiveram de cumprir uma ‘pena’ de serviço comunitário, procedendo à limpeza de um monumento na Foz do Arelho, pois tinham-no sujado com pinturas, vulgarmente conhecidas por grafittis.


Os menores lembraram-se de usar como tela a Fonte dos Namorados – um local emblemático da praia da Foz do Arelho. Uma moradora viu e denunciou-os à GNR, que os apanhou em flagrante delito.Para evitar eventuais procedimentos legais, a Junta de Freguesia da Foz do Arelho falou com os pais e propôs às crianças que limpassem o que sujaram, uma medida pedagógica que resultou. Com o acordo dos pais, os miúdos decidiram aceitar a proposta para limparem a Fonte dos Namorados e muros envolventes – um local recatado, construído em 1916, pelo qual os habitantes têm um grande carinho, porque a tradição diz que é um ponto de encontro dos namorados.

"É a atitude correcta, mais do que estar a aplicar-lhes um castigo. Vieram de livre vontade, não foram forçados e a ideia é eles saberem o que custa limpar, para que pensem duas vezes antes de voltarem a pintar", explicou Fernando Horta, presidente da Junta de Freguesia.Segundo o autarca, a ideia "acaba por funcionar, para eles terem a noção de que o património público é para estimar e não destruir".Nas palavras do autarca, as crianças fizeram a limpeza e ainda se ofereceram para limpar a fonte.

Quando vemos tanto vandalismo pelas nossas vilas e aldeias ficamos a pensar como as coisas seriam diferentes se pais e autoridades seguissem o exemplo relatado acima. "De pequenino é que se torce o pepino" – diz o provérbio. Se quando o menino suja ou parte, os pais o fizessem limpar, segundo as suas capacidades, a criança aprenderia o que custa e pensaria duas vezes antes de deitar coisas para o chão ou de sujar.

Mais do que castigar, a missão dum educador é apontar o caminho. E ajudar a criar hábitos bons e a evitar os maus.

11 comentários:

joaquim disse...

clap, clap, clap, clap...

Sou eu a bater palmas...

Apontar caminhos é bem mais importante que castigar desvios...pelo menos ao principio...

Abraço amigo em Cristo

Catequista disse...

Muito bem. Um castigo transformado em trabalho comunitário é dos melhores exemplos. Um castigo cumpre-se, mas passa. O trabalho pode marcar, pela dureza, pela experiência em si...
Excelente iniciativa, que muitos pais deveriam seguir.

Um abraço

Joaquim Costa disse...

Gosto de passar por aqui.
O que escreve está de acordo com o que penso e procuro viver.
Joaquim Costa

Caros Amigos disse...

Se todos os educadores fizessem assim, tenho a certeza que o mundo seria melhor.

Contra a corrente disse...

Já tenho dito muita vez: se os pais educassem assim os filhos, nós os profes não teríamos dificuldade com a disciplina dos alunos.
Infelizmente, é o que todos sabemos...

Marlene Maravilha disse...

Por isso se diz que para educar é melhor mostrar na prática do que na teoria. Que bela punicäo!
beijos e um lindo final de semana!

elsa nyny disse...

Muito bem!
è mesmo assim!
Nada de violência...trabalhinho!!!

Convido-te a escrever uma carta por Darfur!
http://eu-estou-aki.blogspot.com

Anónimo disse...

É assim que se fazem os Homens.
Sem essa educação, temos maus cidadãos.

PDivulg disse...

Nem mais! Vale mais isso do que ralhos ou outros castigos...

Maria João disse...

Isso, sim, é educação. Jesus também educava assim: dizia que estava mal, mas apontava logo o caminho para a pessoa se emendar e até remediar o erro cometido.

Aliás, ainda o faz... Nós é que nem sempre O ouvimos...

beijos em Cristo

antonio disse...

Sim o educador deve indicar o caminho e sobretudo não se demitir. Um bom exemplo!