domingo, abril 15, 2007

Colhemos aquilo que semeámos


Não a conhecia de lado nenhum. Mas encontrámo-nos casualmente e pôs-me o problema: valerá a pena rezar? E explicou: “Todos os dias rezo pela conversão dos pecadores mas cada vez há mais! Será que Deus ouve os nossos pedidos?”
“Claro que Deus ouve os nossos pedidos! O que não tira é a liberdade às pessoas” – disse-lhe. E continuei: “Deus não quer o mal mas nem por isso deixa de respeitar as decisões do pecador.”

Já depois disso leio na “Voz de Domingo” de Leiria uma resposta da filha do grande evangelista, Billy Graham, a uma questão semelhante que lhe foi feita na T. V.:

“Como é que Deus permitiu uma coisa tão horrorosa, como foi o 11 de Setembro em Nova Iorque?
Anne Graham respondeu:


– Eu creio que Deus ficou profundamente triste, como nós ficámos. Há muitos anos que vimos pedindo para Deus não interferir nas nossas escolhas pessoais, para sair do nosso governo e das nossas vidas. Sendo respeitador como é, calmamente, Deus deixou-nos. Sendo assim, como podemos esperar que Deus nos dê a sua bênção e a sua protecção?
E continuou:
– É verdade! Gritamos, quando há ataques terroristas e tiroteio nas escolas! No entanto, eu creio que tudo começou desde que Madeleine Murray 0'Hare {que acabou também ela por ser assassinada), disse que era impróprio fazer oração nas escolas americanas, como era costume. E concordámos com a sua opinião! Depois, alguém disse que era melhor não ler mais a Bíblia nas escolas! E concordámos!
– Em seguida, – prosseguiu – o Dr. Benjamim Spock disse que não devíamos bater nos nossos filhos quando se comportassem mal, porque a sua personalidade, em formação, ficaria distorcida e prejudicaríamos a sua auto-estima! O seu filho suicidou-se! E dissemos: Um perito neste assunto deve saber o que está a dizer! E concordámos com ele! Mais tarde, alguém disse que os professores e directores das escolas não deviam disciplinar nem corrigir os nossos filhos, quando se comportassem mal!
– Foi decidido, de imediato, que nenhum professor podia tocar nos alunos! Uma coisa é disciplinar, outra é tocar, bem o sabemos!
– Alguém sugeriu, ainda, que deveríamos deixar que as nossas filhas fizessem aborto, se assim o quisessem! E aceitámos sem pestanejar. Sem nos interrogarmos!
– Foi dito, ainda, que devíamos dar aos nossos filhos os preservativos, tantos quantos quises-sem, para fazerem sexo até à saciedade; dar-lhes revistas com mulheres nuas e colocar, na internet, fotos de crianças nuas!
– E dissemos: Está bem! Isto é democracia e eles têm o direito de apreciar o corpo feminino, de fazerem o que quiserem, porque tudo isto é sadio!...
Agora, perguntamos:
– Porque é que os nossos filhos não sabem distinguir o bem do mal, o certo do errado, não têm consciência, nem se incomodam de matar... mesmo os colegas de escola ou a si mesmos?!
A resposta é uma só:

– Colhemos aquilo que semeámos!

10 comentários:

O melhor dos blogues disse...

Escolhi este post para "O melhor dos blogues". Infelizmente, pela sua actualidade.

J disse...

Ver para Crer,

Sem duvida acabou de expor aqui uma grande verdade... infelizmente.

Um grande beijinho em Cristo,que apesar de tudo nunca desiste de nós

Caros Amigos disse...

A tal democracia que leva a tragédias como esta última da escola de Virgínia.
Só com respeito pelos outros podemos construir um mundo para todos.

s.p. disse...

É engraçdo esta coisa sa blogosfera...eu já utilizei este texto em julho de 2006 e concordo com ele, infelizmente e naquela altura fui contestado pelo exagero do texto...hoje encontro-o aqui e é também publicado no melhor dos blogues...ainda bem é sinal de que precisamos de olhar bem para o que estamos a fazer hoje para não nos queixarmos tanto amanhã...um abraço

s.p. disse...

desculpa afinal foi em fevereiro 2006...

Ver para crer disse...

Caro S.P.:

É isso mesmo!
Também penso que o li na altura.
Mas agora vi-o no jornal "Voz do Domingo", via Canadá, e trouxe-o para aqui.
Longe de pensar que ele ganhava oportunidade com os acontecimento de Virgínia.

Maria João disse...

Dizemos que DEus está longe de nós... Nós é que O afastamos.

joaquim disse...

É isso mesmo!
Vi, li num blogue, francamente não sei qual a seguinte história/anedota:

Alguém reza e pergunta a Deus porque não cria homens que descubram a cura para a sida, cancro, etc.
Deus responde: Mas Eu já os criei!
Responde esse alguém: Então onde estão?
Deus responde: Abortaram-nos!

Abraço em Cristo

Marlene Maravilha disse...

Muito bom post! e já o vi no o melhor dos blogues merecidamente!
Aguardo tua visita e o teu voto na concorrencia que me ofereceram de destaque semanal!
abraços

PDivulg disse...

De facto a sociedade que se constroi sob o lema da liberdade, parece que se transforma em libertinagem. Numa sociedade ideal a liberdade absoluta é impossível, as regras tem de existirem, pois caso contrário basta ver os Estados Unidos...