segunda-feira, julho 02, 2007

Porque será?!


O Jornal de Notícias escrevia ontem, dia 1 de Julho:

«Tony Blair, se se converter, não será mais do que um rosto público do caminho de regresso à fé católica de milhares de ingleses, a maioria proveniente da Comunhão Anglicana. A maior diocese católica londrina, Westminster, baptiza, em cada ano, 800 novos católicos. A nível da Inglaterra, pode dizer-se que a Igreja Católica recebe 5000 novos fiéis adultos cada ano, vindos da Comunhão Anglicana, de outras igrejas e de agnósticos e de ateus convertidos».


Mas não é só na Inglaterra que se dá este fenómeno. Nos Estados Unidos, por exemplo, passam para a Igreja católica todos os anos mais de 170 mil adultos e, nestes últimos anos, foram admitidos no catolicismo cerca de quinhentos pastores ou sacerdotes protestantes.

Na França, onde recebem o baptismo cerca de 9 mil adultos por ano, converteu-se recentemente o "bispo" luterano Michel Viot.

E não é só gente anónima. Muitas figuras de renome têm passado para a Igreja católica nos últimos anos. O que é de admirar, num tempo em que a Igreja Católica é criticada por tudo e por nada.

12 comentários:

Catequista disse...

Realmente não conhecia esses números. Confesso que fiquei um pouco admirada pois por todo o lado ouve-se falar daqueles que se afastam (e que são em grande número).
Mas fico feliz por saber que após tantos anos a Mensagem de Jesus consegue tocar nos corações dos homens. Graças a Deus!

Um abraço

joaquim disse...

Nós católicos "gostamos" muito de criticar a nossa Igreja e muitas vezes não damos valor à graça que é o Senhor Nosso Deus nos ter chamado a nela pertencermos.

Faz lembrar o que acontece nos paises onde a Igreja é perseguida.

Cresce e torna-se unida na Fé.

Abraço amigo em Cristo

antonio disse...

Esta foi a Igreja que Ele criou, é natural que esteja sempre a chamar as suas ovelhas, o Bom Pastor.

Mas que não deixam de nos surpreender esses números, lá isso é verdade.

Caros Amigos disse...

Espantoso como as pessoas aderem à Igreja que lhes merece mais confiança!
No passado domingo estive a ver na TVtuga programas de grupos cristãos não católicos e fiquei abismada. Só falam em curas e dinheiro.
Vejam e digam se não é verdade...

Ver para crer disse...

Obrigado a todos pelos comenários. Eu acho que é bom as pessoas não se deixarem levar pelos comentários, livros e filmes desprestigiantes para os católicos.
Somos uma igreja onde há santos e pecadores. E as outras? Só têm santos?!
Acabo de ler as razões por que Michel Viot aderiu à nossa igreja. Cito de http://br.geocities.com/worth_2001/can.html:

"Já era bispo luterano, quando decidiu abraçar a fé Católica. Por que razões terá optado pelo Catolicismo? Ele mesmo responde, apresentando três motivos.

1) O reconhecimento do primado do sucessor de Pedro: “Não se pode esquecer isto, apesar do ecumenismo” declarou ele. 2) A Veneração à Virgem Maria: “Não se pode separar a Mãe do seu Filho” disse ele.

3) Certas ambiguidades existentes nas comunidades luteranas e reformadas, principalmente a propósito dos sacramentos: “Não se podem admitir pessoas não batizadas à comunhão, pois não há Eucaristia sem Batismo; também não se pode delegar a leigos a faculdade de celebrar a Eucaristia; isto vem a ser um insulto á Tradição”.

Mas o elemento decisivo para sua conversão foi a Declaração comum assinada em Augsburg em 1999 por Católicos e Luteranos a respeito da doutrina da justificação: a fé salva, mas requer obras para ser fé viva."

Faz bem ao nosso ego ler isso.

PDivulg disse...

De facto é um dado curioso...
Eu penso que pelo facto de alguns criticar a Igreja Católica isso não deve ser considerado como negativo, mas antes como construtivo. Pois mostra que dentro da Igreja há pessoas que tendo a mesma Fé em Jesus tem outras visões nos destinos humanos da Igreja, como tal não me parece mal.
Se não houvesse críticas no seu interior, apenas poderia mostrar duas coisas: -ou as pessoas não se preocupam e aceitam tudo o que ouvem
- ou sentem que uma ou outra coisa poderia ser encarado doutra forma e como tal manifestam-se pois vivemos em democracia...

Maria João disse...

Até à hora da morte podemos converter-nos. Esperemos é que as figuras públicas, ao converterem-se, deixe de lado certas posições contrárias a Deus Pai...

beijos em Cristo

Ver para crer disse...

Ao citar aqui o artigo do Jornal de Notícias que fala na conversão de Tony Blair, não quis de modo algum branquear o seu apoio à guerra do Iraque.
Essa será uma mancha negra (ou vermelha de sangue e destruição) que acompanhará sempre a sua vida.
Fui contra essa invasão assim como contra a do Afeganistão. Os meus pontos de vista ficaram bem expressos em artigos no AMIGO DO POVO. Ver por exempolo: http://www.amigodopovo.com/guerra81.html
Mas uma coisa quis e quero acentuar: a Igreja católica continua a ter novos aderentes de todas as idades e condições. Talvez até como raramente aconteceu na história. Não nos deixemos pois arrastar pelo pessimismo ou a amargura de quem vê um edifício esplendoso a ruir. Pelo contrário: no meio de difamações e críticas mesmo dos que se dizem católicos, ela continua a ser a mãe que gera e acolhe as ovelhas tresmalhadas. «As forças infernais nada poderão contra ela» como disse o Mestre.
E o nosso tempo é disso testemunha.

Anónimo disse...

Para mim tanto vale ser protestante como católico, judeu ou muçulmano.
O que é preciso é ser boa pessoa.

Anónimo disse...

De boas pessoas está o inferno cheio, costuma-se dizer.
Se é tudo igual para que veio Cristo à terra?! Para fazer turismo?!
E acaba morto pelo que ensinou e afirmou...
Ana Paula

Ver para crer disse...

Estas conversões são fruto da graça de Deus. As calúnias e as perseguições a que a Igreja está sujeita também contribuem para isso.

bico de pato disse...

Este caso foi discutido no blog - padres inquietos- Convido-vos a dar lá uma saltadinha...
É talvez outro diapasão...que convem ouvir.