sexta-feira, junho 22, 2007

Kaká: um exemplo a seguir


A capa do último número da edição italiana da revista Vanity Fair traz em primeiro plano o que é considerado o melhor jogador do mundo – Kaká. Mas o tema central da entrevista não foi o futebol, nem a recente vitória da sua equipa, o Milan, na Liga Europeia dos Campeões, ou sua candidatura à Bola de Ouro 2007. Foi a sua revelação de que nunca teve qualquer relação sexual até ao casamento, nem com a sua noiva nem com qualquer outra pessoa.

A entrevista provocou uma enxurrada de comentários. E relançou o debate que parecia, até hoje, exclusividade da Igreja católica: a virgindade ainda é um valor no terceiro milénio?
A declaração de Ricardo Izécson Santos Leite – o célebre jogador Kaká – que não é católico mas cristão evangélico, abriu um verdadeiro debate sobre tal assunto.

A ideia de um jogador de futebol casto parece inacreditável num mundo em que a maioria das raparigas sonha namorar craques ricos e lindos como o campeão brasileiro. E todos conhecemos como hoje é fácil encontrar rapazes e raparigas que não pensam sequer nas consequências de se entregar sem mais a verdadeiras orgias de sexo.

Kaká explica:
– Sou um jovem normal. Não foi fácil chegar ao casamento sem nunca ter estado com uma mulher. Eu e Caroline (sua mulher) nos beijávamos e o desejo existia. Mas soubemos nos conter. Se hoje a nossa vida é mais bonita, acho que é porque esperámos pela hora certa.
«Por mais que estas declarações estejam fora de moda, não é esse o tipo de consciência e responsabilidade que todo pai e mãe sonham que os filhos tenham?» – exclama a jornalista. E Berlusconi – o patrão do Milan – comentou numa entrevista:
– Kaká é o genro ideal, pena é que já esteja casado.

O referido jogador é mesmo um bom rapaz. Cumpridor de suas obrigações, franco e equilibrado, ele é o protótipo de um jovem exemplar. Nunca foi visto em lugares esconsos, ou a discutir com o técnico e muito menos a ser envolvido em escândalo dos paparazzi italianos, que levou um punhado de fotógrafos para a cadeia no início do ano por chantagear jogadores (entre eles, alguns brasileiros) com fotos comprometedoras.

14 comentários:

Marta disse...

É pena que haja tão poucos rapazes assim.
Os que tenho encontrado só querem sexo e o resto que se lixe.

contra a corrente disse...

Ver para crer:
Apresentas um belíssimo exemplo de como nem só na nossa religião há quem persista em ser fiel aos mandamentos do Senhor.
E logo o futebolista mais famoso!!!

Marlene Maravilha disse...

Comentei no melhor dos blogues!
abraços

antonio disse...

Acima de tudo essa decisão tem que se basear no amor, no respeito e num projecto a dois.

Tudo se perderia se tal se devesse a um qualquer fundamentalismo religios, que felizmente não parece ser o caso.

pedro aurelio disse...

Olá paz do sr meus queridos irmão em Jesus , passai por aqui para vos desejar um inicio de um bom fim de semana .
Desde já gostava que visitassem o meu blog pk tenho textos novos , que são bastantes actuais para o nosso tempo de hoje.
Gostaria de pedir que me deixem um comentário pk me alegra muito saber as opiniões de cada um de vos
Que Deus VOS ABENÇOE RICAMENTE

Blog oficial

http://pedroaurelio.blogs.sapo.pt/

elsa nyny disse...

Muito bem!
Não estava á espera desta mesmo!
Fico contente pelo crake!!! Pelos vistos ainda há quem saiba beber da vida o melhor que ela tem!

:)

Maria João disse...

É incrível! Principalmente, porque a decisão fez-se por amor!

beijos em Cristo

Anónimo disse...

É assim tão importante a virgindade para vocês?
Para mim, pelo contrário.

Ver para crer disse...

Caros amigos:
Ainda bem que valorizam o exemplo do nosso amigo Kaká. Se os nossos jovens fizessem como ele, de certeza haveria muito menos divórcios.
Até porque estariam menos viciados em sexo.

malu disse...

Louvável a atitude dos noivos e esperemos que se torne exemplo que estes casos são cada vez mais raros.

Abraço.

ERute disse...

Este testemunho recordou-me o testemunho da Miss Sevilha 2005 que declarou que não desfilaria "com transparências, mini saias e biquinis".

Debatemos um pouco esta temática de afirmarmos o que somos sem medo na reunião do grupo de jovens.

Contra a corrente disse...

Deixo aqui esta notícia da Agência EFE para a consideração de todos:

«Londres, 22 jun (EFE).- Uma adolescente cristã britânica decidiu levar sua escola aos tribunais por impedi-la de usar em aula um "anel da pureza", símbolo de seu compromisso de abstinência sexual até o casamento, informou a "BBC".

Lydia Playfoot, de 16 anos, acusa seu colégio - o Millais School, que fica em Horsham (sudeste da Inglaterra) - de discriminação, já que as alunas muçulmanas podem usar o véu.


A escola advertiu à jovem que ela deve tirar o anel antes de entrar em aula, ou será expulsa.


A instituição de ensino nega que esteja violando os direitos humanos, porque afirma que o anel não é parte essencial da fé cristã e considera que um aluno cristão pode usar crucifixo.


Segundo Playfoot disse hoje à "BBC", o anel tem uma inscrição bíblica e simboliza "seu compromisso cristão de abstinência sexual até o casamento".


Playfoot argumentará nos tribunais que seu direito de expressar suas crenças religiosas em virtude do artigo 9º da Lei de Direitos Humanos foi violado. EFE»

Ver para crer disse...

Contra a corrente:

É! Há laicistas que se esquecem de que os cristãos também têm direitos. Mesmo que os não exijam à bomba como tantos outros...

Joaquim Costa disse...

Esta rapariga será cristã católica?
Parece-me que não. Os católicos serão assim tão exigentes no respeito dos seus direitos?!
Quem me sabe dizer?