sábado, março 31, 2007

Jornalista converte-se


Uma controvertida jornalista perita na história da música rock e que por muitos anos foi uma porta-bandeira da "revolução sexual", converteu-se – após abraçar a fé católica – numa fervorosa promotora da castidade.
A jornalista Dawn Eden publicou o livro "A Emoção da Castidade", onde sustenta que para a mulher tem muito mais sentido a castidade que o sexo casual.
Há alguns dias, o jornal The Sunday Times publicou um artigo onde Eden conta sua incrível historia e se apresenta a si mesma como uma das "filhas insatisfeitas da revolução sexual". Eden confessa que após vários anos levando um estilo de vida dissipado, chegou um momento em que não pôde mais e decidiu mudar. Embora não tenha sido uma mudança imediata, pouco a pouco descobriu que a vida podia ser de outra forma.
Conforme destaca, há uns anos entrevistou a líder de uma banda musical de Los Angeles denominada Sugarplastic e perguntou que livro estava lendo. Tratava-se do "Homem que foi Quinta-feira", de G.K. Chesterton. Eden animou-se a ler o livro e afirma que nele descobriu pela primeira vez que "no cristianismo havia algo interessante".
Anos depois, ela própria abraçou a fé católica para escândalo de muito boa gente.

5 comentários:

carissimos disse...

A vida não pode ser só sexo. Doutro modo as sociedades degradam-se e não há quem zele pelo bem social.

antonio disse...

No meu blog, falo da necessidade do homem em balizar o espaço e da consequente elaboração de estruturas abstractas para o representar.

Enfim, da necessidade de mapear o Norte, de criar um suporte tangível onde se possa traçar um rumo.

Por vezes o mais importante é saber para onde queremos que esse rumo nos leve.

Haras disse...

Olá,

Eden tem razão ao afirmar que "no cristianismo havia algo interessante", pois Cristo ao dar a sua vida na Cruz (Paixão de Jesus Cristo), leva-nos a perceber o que é o AMOR...

Visita-me em:
http://www.sementinha-da-vida.blogspot.com/

Um grande abraço

J disse...

Ver para Crer,

Uma história veridica que não deve ser unica.
Quantos não abraçarão o Amor de Cristo após uma vida longe da casa do Pai? E Ele também os abraça, e beija imensamente. Que alegria ver este reeencontro.

Um grande beijinho em Cristo

Catequista disse...

De braços abertos está o Pai que sempre nos recebe, mesmo quando o caminho que seguimos não é o mais indicado.
Um abraço