quarta-feira, janeiro 03, 2007

Déficit de crianças

Em Portugal nascem cada vez menos bebés. Contas feitas, estima-se que para uma renovação de gerações, ou seja, para que o número de partos fosse superior ao número de óbitos, seriam necessários mais 47 mil nascimentos por ano. Isto porque nas duas últimas décadas a quebra na natalidade fez com que ‘não nascessem’ 900 mil crianças.
Esta interpretação é feita pela Associação Portuguesa de Famílias Numerosas (APFN) face aos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) referentes ao número de nascimentos no País.
Esta conclusão leva o dirigente da APFN a defender que o número de filhos devia ser um factor a entrar para o cálculo da pensão de reforma das famílias. Pela mesma lógica, Fernando Castro considera o referendo sobre o aborto "um disparate".

7 comentários:

antonio disse...

Parece-me razoável que exista mais apoio às familias numerosas; em Espanha, a partir do 4º filho o ensino é totalmente grátis para todos os filhos.

Agora disparate é ignorar que existe um problema associado ao aborto, clandestino ou oficial... disparate será também acreditar que o referendo venha resolver a questão.

Lai disse...

eu penso que existe um deficit de valores...

está tudo tão "sem" Deus!!

DTA
Lai

Em contra-corrente disse...

Aproveito para o saudar e lhe desejar um bom ano.
Estou completamente de acordo que se deveria olhar mais para as condições a oferecer às mães em situação difícil do que a casos de mulheres de abortam.
O aborto é sempre a pior escolha.

Maria João disse...

Lá isso é verdade. Há um deficit, mas poucas políticas de incentivo à natalidade. Alguém compreende este mundo?

caminante disse...

Me atrevo a decir que el problema es más profundo. Creo que lo que hay que cambiar es el corazón de los padres. Faltan cunas porque faltan corazones. Y el hijo se convierte en:
1)un estorbo.
2)una fuente de ingresos
3)un juguete
4)un decir a todos: soy perfecto, puedo engendrar...
El hijo no es amado por sí mismo y no es acogido como un REGALO, un DON, de Dios.
No es fruto del amor.Es producto.
Me parece a m i.
Un fortísimo abrazo.

Chama Violeta disse...

...e que o vento possa levar-lhe uma voz que lhe diz que há um Amigo ou Amiga em algum lugar do Mundo
desejando que você esteja bem!!!
Para ti amigo que conheço e para ti amigo que não sei quem és,um Feliz e Mágico 2007!!!

elsa nyny disse...

Olá!

Pois é...este país é mesmo assim...não o podemos mudar, mas podemos ir mudando aquilo que está à nossa volta1 temos que ter esperança!

beijinhos!
:))