quinta-feira, julho 31, 2008

Em louvor dos que partem


Portugal volta este ano a enviar mais voluntários missionários para trabalhar em projectos de cooperação para o desenvolvimento, sobretudo em países lusófonos. Para além dos enviados pelas dioceses, a Fundação Evangelização e Culturas preparou 283 leigos portugueses para partirem para missões, estas férias grandes. 63 vão por um ou mais anos.

Tive ocasião de falar com uma das que já fez este serviço no ano passado. Foi em Moçambique, onde a pobreza é muita. Disse-me que a missão foi dura pelo muito trabalho que teve pela frente. Foram aulas a crianças e a adultos. Foi a catequese e o serviço aos doentes. Sempre os dias preenchidos. Nem deu pelo tempo passar.

Esta jovem regressou com um sonho: voltar de novo e com mais tempo. Actualmente isso não lhe é possível, pois está a iniciar a sua carreira profissional – já conseguiu emprego e não o quer perder. Mas um dia há-de voltar.

Uma das coisas que admirou foi a alegria daquela gente. Apesar duma vida difícil, ali parece não haver depressões nem angústias. As crianças saltam e brincam como no melhor dos mundos. E os adultos riem e parecem felizes.

Então os missionários (homens e mulheres) – alguns já bem adiantados nos anos – não param. Estão ao serviço 24 horas por dia. E vê-se que toda a gente os trata como se fossem seus pais. Deles parece depender a vida duma multidão de pessoas.

«Quem vive na Europa não faz uma pequena ideia do que é a vida duma missão em Moçambique» – disse-me. E acrescentou: «nem imagina o que seria se uma Missão fechasse!»

Este testemunho diz-nos bem do que é a generosidade dos que partem para outros países para ajudarem os pobres. Não se pense que os missionários passam a maior parte do tempo ao serviço da religião. A maior fatia vai para a ajuda aos problemas humanos das pessoas.

13 comentários:

Em contra-corrente disse...

Vou de férias e bem gostaria de ir ajudar nas missões. Mas a vida tem que continuar a tratar da família. Um abraço para todos.

Joaquim Costa disse...

"Quão formosos são os pés do que anuncia boas-novas, que faz ouvir a paz, que anuncia coisas boas, que faz ouvir a salvação, que diz a Sião: O teu Deus Reina!" Isaías 52.7
A Bíblia tem razão!...

Anónimo disse...

conheci a Idalina da foto. Era uma rapariga extraordinária. Deus a tem no Céu, de certeza.
Até porque morreu como mártir da fé.
Maria João Pires

Manuela Pires disse...

Estes missionários que apenas dão o seu contributo nas férias podem não fazer grandes obras mas levam o testemunho de uma igreja rica que não se esquece dos pobres.
E quem mais ganha são estes jovens.

Maria João disse...

É impossível esquecer este testemunho.

Esta semana que vem, vou em missão para junto dos sem-abrigo. Reza por nós e por todas as missões.

beijos em Cristo e Maria

Ecclesiae Dei disse...

Parabéns ao povo Português. Nós, brasileiros, devemos a vocês nossa religião Católica Apostólica Romana, e vejo que continuam a levar essa Verdade a todos os povos.

Ver para crer disse...

É verdade Ecclesiae Dei. Mas actualmente temos poucos sacerdotes e por isso para aqui vêm também doutros países, entre os quais o Brasil.

antonio disse...

O futuro não pode ser a Missão,mas sem esta muito desse futuro nunca chegará a nascer...

Eufemia Santos disse...

É mais uma modalidade de turismo...
A religião presta-se a tudo.

Marlene Maravilha disse...

Espetacular! Eu amo missöes! Intercedo, contribuo e faco tambem, de uma maneira um pouco diferente, porque afinal, somos um corpo, mas usados de maneira diferentes.
Tenho uma bencao para compartilhar!
abracos

Fa menor disse...

Felizmente que ainda há muita gente generosa, com coragem de se dar aos mais desfavorecidos.

Anónimo disse...

Conheci a Idalina da gravura. Foi minha colega de faculdade. Ainda hoje choro quando ouço falar nela ou vejo a sua foto. Era uma rapariga linda!!!
Mas logo havia de se dar isto com ela. Que Deus a tenha em bom lugar...
Carla Mendes

JC disse...

Vim só deixar um abraço!