quarta-feira, março 22, 2006

A minha doença foi uma bênção

Testemunho
Hesitei ao escrever o desbafo da minha confidente. Mas é a verdade e não podemos ter medo da verdade!

Não é fácil descrever o que aconteceu naquela família, quando a D. Zulmira foi hospitalizada. O diagnóstico era reservado e o marido foi logo prevenido de que, a ficar boa, a esposa tinha para mais de um ano de tratamento.

O filho mais velho tinha entrado há pouco para a universidade e a mais nova estava no 6º ano. Havia ainda um outro filho de uns 15 anos, que também estudava.

Toda a família a ia visitar ao hospital. E a doente é que tinha de dar ânimo aos filhos, ao marido e até a outros familiares.

Em casa, nos primeiros tempos, era uma anarquia. Quem é que havia de fazer o comer? Depois era preciso lavar, varrer, limpar. A mãe estava no hospital. A avó aparecia por lá, mas estava tão nervosa como os netos e o genro.

– Façam só o indispensável. Para a semana tenho fé que já vou para casa.

A Zulmira sabia que a sua doença não é das que passam em poucos dias, mas tinha fé que a Senhora de Fátima sabia o que era a falta duma mãe numa casa. Para além disso era preciso incutir fé e coragem na sua família.

– Rezem o terço todos os dias para que Nossa Senhora me ponha boa. E não deixem de ir à Missa.

O filho mais velho tomou aquelas palavras para ele. As mais das vezes ficava na cama, em vez de se levantar para cumprir o preceito dominical.

Foram mais de três meses no hospital e depois tratamentos de quimioterapia.
Mas pouco a pouco tudo ia sendo feito naquela casa. Até a mais nova já cozinhava, lavava e varria, quando chegava a sua vez. E todos os dias havia tempo para rezar naquela casa. O universitário de novo se acostumou a levantar cedo ao Domingo para ir à Missa.
A coragem e fé da mãe superou o mal ruim. E a família tinha amadurecido em todos os sentidos. Passados mais de 3 anos, tive ocasião de ouvir daquela senhora que a doença tinha unido os membros da família não só entre si mas também com Deus.

Daí que me tenha dito que no seu caso a doença havia sido uma bênção de Deus.

8 comentários:

Caros Amigos disse...

Doença e bênção não rima mas por vezes acontece.
Que seria do mundo se não houvesse doenças?!

Mata Hari disse...

AS atitudes muitas vezes tem que mudar . Uma benção não me parece um motivo talvez.

Pdivulg disse...

São nessas situações difíceis que se existir o espírito Cristão funciona mais ao reunir as pessoas... Quando ele não existe apenas irá desagregar e afastar as pessoas no desespero. A Fé une na desgraça.

Entre-aspas disse...

"Todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus..."
Rom 8:28

s.p. disse...

é engraçado...mas ás vezes parece que temos de apanhar um choque para acordarmos...provavelmente é uma pena...por isso é que normalmente basta nós queremos para modificar as coisas à nossa volta...olha acho que até deixei soltar umas lágrimas...mas concordo plenamente...obrigado

Galeriacores1 disse...

É um ditado da nossa gente "Deus escreve direito por linhas tortas"

Sonhadora disse...

Se calhar todos nos questionamos porque é que certas coisas menos boas nos acontecem. Esta história é uma resposta a essas perguntas.

Há males que vêm por bem...

JMiguel disse...

Tudo isto só foi possível porque não navegavam na internet nem liam o jornal...